segunda-feira, 21 de maio de 2018

Uma Busca



Uma busca: que o coração sempre chegue a outro coração usando as asas da liberdade, e não as correntes de um amor postiço.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

terça-feira, 15 de maio de 2018

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Afeto Nuclear


Os grandes afetos também  podem gerar faíscas, incêndios, explosões. O amor, por exemplo, pode se tornar uma guerra nuclear entre duas pessoas.

domingo, 13 de maio de 2018

Mãe da Vida



Ser mãe é ser, antes de tudo, mãe da vida: o filho é a vida pulsante e regozijante querendo mais vida.

sábado, 12 de maio de 2018

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Demagogia e realidade bipolar


A melhor arma do demagogo é dividir o mundo em dois lados extremos e irreconciliáveis: o certo e o errado, a verdade e a mentira, o bem e o mal.  Essa é a forma mais fácil de manipular os rasos de pensamento.


Amor e Império


No amor possessivo, julgamos, tolamente, que o outro é nosso pequeno império: um império sobre o qual exercemos nossa pequena e sutil tirania.


Segunda-feira



Há algo de muito errado na sua vida e nas suas escolhas se você começa a segunda-feira  já pensando na sexta.


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Artesãos do Amor


O tempo e a convivência são os dois principais artesãos do amor: podem construir um grande amor, como também podem fazê-lo desmoronar.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

terça-feira, 1 de maio de 2018

Justiça no Amor-próprio



Não confundam amor-próprio com arrogância: a arrogância leva a um pensamento ilusório de superioridade em relação ao outro. O amor-próprio leva a um pensamento de justiça: valorizamos o outro se esse outro igualmente nos valoriza. 

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Verdadeira Amizade



A amizade é a base de qualquer relação verdadeiramente amorosa. Sem amizade, resta pouca coisa de sólido numa relação. Talvez, o verdadeiro amor só exista quando existe uma verdadeira amizade.

sábado, 28 de abril de 2018

Sinal de maturidade


Um sinal de maturidade: compreender que nem tudo o que queremos podemos e que, na vida, nem tudo controlamos.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Porto-solidão

A vida é um mar revolto
O tempo, um turbilhão 
Eu sou barco solitário 
Você, meu porto-solidão.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Desabrigo

Dor desesperada
Lamina afiada
No meu coração

Noite na minh’alma
Lágrima encravada
Nessa escuridão

Medo da minha sorte
Que ilumina minha morte
Vôo rasante dessa desrazão

Afinal, sou direção sem norte
Cada palavra é um corte,
Esperança revivida em vão

quarta-feira, 28 de março de 2018

Colisão

Quando nossas rotas se cruzaram
E nossos mundos colidiram
O impacto foi como um estalo
De um beijo ardente da libido.

quarta-feira, 14 de março de 2018

A Porta

A poesia é a porta
Que nos abre para  o infinito,
Uma arma 
contra nossa Razão torta,
Mergulho rasante 
nos nossos próprios abismos.

sexta-feira, 2 de março de 2018

A Navalha

Todo dia quando acordo
Sinto o aço quente da navalha

Perfurando meu rosto,
meu pescoço, trespassando a minha alma

Todo dia quando durmo
Sinto o aço frio da navalha

É o vento que perfura meu desejo, esfria meu corpo e a minha solidão esquálida

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

2018

2018

Esse ano, não quero paz.
Não quero ser o inerte que jaz.
Quero o desejo fabuloso do caos:
pois caos
é a fagulha pulsante
e criativa dos vivos,
enquanto a paz
 é o estado imóvel
e infecundo
dos mortos de espírito.


quarta-feira, 22 de novembro de 2017

PoeMerda (Poema de um Merda)

NESSE MUNDO
MERDA
EM QUE TODOS SÃO POETAS,
MERDA
EM QUE TODOS SÃO PENSADORES,
MERDA
SÃO CELEBRIDADES, MODELOS E ATLETAS,
MERDA
EU PREFIRO SER SOMENTE ESTERCO
(MERDA)
UMA BOSTA DEFECADA PELA TERRA
(MERDA)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O pior muro é aquele que você não quer ver

Os muros mais resistentes e duradouros são aqueles construídos com os tijolos da vaidade pessoal. São muros, por assim dizer, fixados na alma, que escondem aquilo que em nós não gostaríamos de ver.

Precisamos, então, usar uma força interna colossal para que tais muros possam desmoronar e, assim, nos vejamos assombrosamente "nús" diante de nós mesmos.

domingo, 30 de julho de 2017

O Equilibrista

Amadurecer é equilibrar-se: ter a coragem para encarar o abismo do real, mas sem perder a leveza da imaginação.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Contador de Histórias

O ar frio da aurora
Era sinal de novas caminhadas:
O sol despontava
E você me contava
Que não se cansava
De contar novas histórias.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Confissões de Sórel

Eu sempre fui minha única verdadeira companhia. Ter pensamentos profundos tem seu preço. Durante certas épocas, esse preço me pesa. Tento fugir da minha condição fundamental: a de que sou basicamente solitário; por vezes, sozinho também.

Por mais que tenha tentado encontrar durante toda a minha vida uma companhia que esteja autenticamente ligada a mim, a verdade é que, no final das contas, fracassei. Ou, em outras palavras: perdi uma ilusão. Mas como tenho um forte para gracejos, posso dizer que saio ganhando: menos uma ilusão nesse mar de ilusão que é viver. Sou uma ilha diante desse mar. Apesar disso, uma ilha exótica e profundamente vaidosa. Orgulhosa de ter consciência de que é rara e de difícil acesso, por isso de alto valor. E se digo “alto valor” é porque sei o quanto a minha condição - de solitário - e a consciência dela me coloca num estado fecundo para o pensamento, para o êxtase da introspecção contínua e diária e para a invenção de ilusões próprias, por isso radiante como ouro.

Não tenho nada contra as ilusões em si, mas condeno quem tem as que não lhe são próprias. A ilusão foi o primeiro ato do nosso primeiro ancestral provavelmente, sem ela não teríamos sobrevivido e chegado até aqui. 

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Shopenhauer Update

A vida é um pêndulo entre o tédio e a intensidade.

Intensidade: quando vivemos um segundo de Eternidade.
Tédio: quando vivemos a eternidade de 1 segundo que não passa...

sábado, 9 de abril de 2016

Antipolítico

Ser antipolítico em meio a toda essa gritaria virtual e ao barulho oco das vozes da multidão, ser antipolítico em meio a toda essa histeria política da nossa época, é uma postura pessoal que aponta para a perspectiva de que a política não é a principal dimensão da vida: posições, opiniões, engajamento em causas sociais e lutas políticas são apenas disfarces de gostos, temperamentos e interesses pessoais sorrateiros, ou seja, são máscaras para tudo aquilo que silenciamos no nosso cotidiano e que, não raro, não declaramos nem para nós mesmos.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Filosofia e Perigo

Quando a Filosofia deixa de ser algo perigoso, quando ela perde seu caráter de experiência assombrosa e inquietante, então ela já não é mais "Filosofia"...

domingo, 7 de fevereiro de 2016

A Redenção da Preguiça

Para continuarem vivas, as pessoas preguiçosas sabem, no fundo, que, apesar da sua preguiça, precisam ter o trabalho de provar, para si mesmas, que elas fazem algo de relevante na vida. Sem isso, a preguiça seria acrescida de uma consciência niilista sem máscaras nem pretextos, beirando a uma apatia completa, a uma paralisia total. O suicídio seria uma saída natural; em outras palavras, seria a confirmação de uma real consciência da desimportância.

No entanto, as redes sociais, hoje, funcionam muito bem ao dar uma aura de importância e de reconhecimento às pessoas por simplesmente elas não dizerem e não fazerem nada de autenticamente relevante nas suas vidas concretas. Ou seja, as redes sociais reconhecem também a falta de empenho intelectual, de autenticidade vivencial e de criatividade de pensamento da existência indolente. As redes sociais são o Rivotril cultural da nossa época. Evitam o suicídio em massa dos preguiçosos.

domingo, 2 de agosto de 2015

O Lobão Tem Razão!

Uma canção de 1988 com ares de 2015. Uma letra atual para uma sociedade com compulsão pelo exibicionismo pessoal e que vive, assustadoramente, a "cultura da celebridade". O Lobão de 88 acertou sobre 2015.

  É Tudo Pose

Na vida hoje
É tudo pose

Todo mundo se imagina estampado em outdoor
É tudo pose, é tudo pose, é tudo pose
Preocupados com olhares ao redor

Pra entrar no carro
Pra sair na rua
Tudo, tudo vira pose, é bem pior que na TV

Pra tirar um sarro
Cada um na sua
Inventando pose até para morrer

É tudo pose, é tudo pose, é tudo pose
A vida, vida sempre foi assim
É tudo pose, é tudo pose, é tudo pose
Sai dessa podre ou vê se sai de mim

Pose pra quê?
Pose pra quem?
Com essa pose você não vai ser ninguém
Seja você
Sai do normal
No fim de tudo a vida vira um carnaval
É tudo pose, é tudo pose, é tudo pose
A vida sempre, sempre foi assim
É tudo pose, é tudo pose, é tudo pose
Sai dessa podre ou vê se sai de mim


sexta-feira, 31 de julho de 2015

Amor Maior

O amor maior é aquele que se manifesta, se santifica e nos eleva nas grandes experiências de troca: e não nas experiências de monopólio sobre alguém ou no sentimento de posse exclusiva. Amar, amar de forma elevada e grandiosa, tem muito mais a ver com um livre fluxo mútuo de afetos e de experiências do que com transformar afetos de pessoas - e as próprias pessoas - em propriedade privada.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Ser Entre Ser e Não-Ser

Eu não sou ateu
Eu não sou teísta
Eu não sou budista
Nem muito menos socialista.

Não acredito em uma ideia de justiça
Nem em discurso moralista;
Não,
Não sou do bem, não sou do mal.
Não acredito em quem se diz "normal".

Não tenho crença no Império da Razão
Nem muito menos quero a sua "felicidade".
Não tenho causa que santifique a compaixão
Nem muito menos para não vê-la como crueldade.

Posições fixas e rótulos
são para os fracos de espírito.
Tenho mais risos e criações
do que amor a convicções...

terça-feira, 23 de junho de 2015

O Barco Além do Sol

De todos os trabalhos posteriores ao fim da Legião Urbana, acho que esse é o mais primoroso dentre os trabalhos dos ex-integrantes da banda.

Marcelo Bonfá une uma refinada poesia [pitadas de Fernando Pessoa são nítidas em algumas letras, como nos versos "Navegar é preciso e viver é um tanto impreciso" (O Veleiro de Cristal) ou "Sei que tenho em mim todos os sonhos do mundo" (Todos os Sonhos do Mundo)], arranjos bem elaborados e atmosferas que oscilam entre a melancolia, a solidão e a esperança. Isso tudo aliado, acima de tudo, a uma sonoridade que, em um sentido holístico, possui um conjunto de detalhes e timbres que me capturaram desde a primeira canção do álbum.

"O Barco Além do Sol", lançado naquele clima de fim de século (2000), é daquele tipo de álbum que você começa a ouvir despretensiosamente, mas logo se vê envolvido numa cápsula sonora que te faz viajar para espaços e tempos interiores que você nem suspeitava que existissem dentro de você...


O Veleiro de Cristal
(Marcelo Bonfá)

"Mistério, esse não-saber
  A vida, este sonho
  O silêncio faz a verdade aparecer
  Algumas vidas se juntam e se completam/
  Outras se cruzam sem se tocar/
  Tudo o que queremos é nunca mais ter que dizer adeus..."



Álbum completo:O Barco Além do Sol (2000) - youtube

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Nietzsche

“Para se relacionar plenamente com outro, você precisa primeiro relacionar-se consigo mesmo. Se não conseguimos abraçar nossa própria solidão, simplesmente usaremos o outro como um escudo contra o isolamento. Somente quando você consegue viver como a águia, sem absolutamente qualquer público, você consegue se voltar para outra pessoa com amor. Somente então é capaz de se preocupar com o engrandecimento do outro ser humano.”

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Visceral

Quero um vazio onde possa voar
ou o infinito do céu obscuro do abismo;
Quero um precipício onde possa pular
ou  pelo menos  viver de algum risco.

Quero varar pelo lado escuro das ruas
Quero tragar, incendiar bocas nuas

Quero uma noite plena de vinho
Quero estilhaços do excesso incontido
Quero uma taça cheia de caos,

Quero uma vida viva, incisiva, visceral.